Skip to main content

Como o uso de novas tecnologias dentro da sala de aula afeta os professores

professores-alunos-escola

 

As novas tecnologias da informação e da comunicação impactam a todos nós, mas existe um setor que se vê afetado pela necessidade premente de aprender a lidar com todos esses aparatos para continuar a desempenhar o seu papel na sociedade com excelência: a educação.

Cercados por alunos que estão completamente familiarizados com as tecnologias mais difundidas, os professores necessitam correr atrás de capacitação e conhecimento nesta área, visando utilizar estes recursos como aliados em sala de aula em vez de simplesmente banir de seu território tudo aquilo que prende a atenção do aluno.

O aprender a desaprender e reaprender

Um movimento que vem sendo bastante difundido na Europa é o aprender a desaprender e reaprender, ou seja, diante de tantas inovações, é preciso desconstruir conceitos e reconstruir outros com mais fidedignidade ao novo contexto social, ampliando os horizontes do conhecimento e trazendo para o ambiente escolar um novo olhar sobre a educação.

A construção de uma nova forma de educar

Formados para transmitir um determinado conteúdo preestabelecido, os professores se veem frente a um novo desafio: o de compartilhar o conhecimento com seus alunos de uma maneira igualitária, sem relações de poder. Assim como o professor ensina o conteúdo, o aluno pode ensinar o professor a trabalhar este conteúdo de uma maneira diferenciada, criando um blog ou até mesmo um aplicativo mobile. As barreiras se quebram e a aprendizagem passa a ser responsabilidade de todos.

O novo papel do professor

A figura de autoridade que não podia ser questionada deixa de existir em sala de aula, e o professor passa a ser um orientador de conteúdos, guiando o aluno pelos caminhos do saber. Reverter uma situação mantida por séculos não é fácil, e o professor deve conseguir trabalhar essa nova realidade tanto internamente quanto externamente, motivando os alunos a serem os professores de si mesmos.

É preciso falar a mesma linguagem

Quantos alunos não se sentem frustrados ao serem arrancados de uma competição de palavras para retornarem a uma aula estagnada e sem dinâmica? Os professores precisam saber falar a mesma linguagem dos alunos, caso contrário, não há comunicação, tão pouco aprendizagem. Neste novo contexto tecnológico, é papel do professor saber aproveitar o que há de bom na tecnologia para direcionar os alunos para os estudos, utilizando estratégias de gamification, por exemplo, para elevar os alunos a um novo patamar do aprender, com muito mais ânimo e motivação.

Os novos rumos da educação estão nas mãos dos professores

Assim como a tecnologia vem desmistificando uma infinidade de conceitos, teorias e crenças, a educação deve passar por uma reforma que elimine as barreiras que limitam os alunos nas práticas educacionais, tornando-se uma verdadeira educação libertadora, como preconizava Paulo Freire. Esta nova realidade não suprime o papel do professor, mas o transforma, exigindo do profissional da educação uma postura mais aberta e receptiva a mudanças, que contribua significativamente para a formação de seres humanos pensantes, críticos, que tenham vez e voz na sociedade.

Os impactos sofridos pelos professores em virtude das TICs no ambiente escolar não precisam ser negativos, podem ser pontos de partida para que o movimento que iniciamos com as novas tecnologias da informação e da comunicação contribuam para que os professores se tornem facilitadores no processo de aprendizagem, conduzindo os alunos por multicanais do saber, como tablets, smartphones, livros, revistas, internet, entre outros, a fim de criar um conhecimento coletivo e baseado na troca de experiências.

O que você acha desse cenário? Como vê a educação no futuro? Deixe seu comentário!

Share on Facebook4Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *