Skip to main content

Com $100 milhões do vale do silício, AltSchool inova no ensino em sala de aula

Foto post

A grande notícia essa semana foi o investimento de U$D 100 milhões de dólares por meio da instituição da família de Mark Zuckerberg em uma escola. Cada vez mais, os investidores em tecnologia estão apostando em StartUps educacionais, mas o que a AltSchool, uma nova rede de escolas privadas trouxe como novidade que atraiu os olhares do CEO do Facebook?

Fundada por Max Ventilla, um ex-funcionári do Google, a AltSchool é uma nova escola que tem como foco a educação primária apoiada em uma plataforma de tecnologia para ensino personalizado. A escola também se baseia na crença de que cada estudante varia em níveis de habilidade de aprendizado em matérias como matemática, leitura, ciências, artes, educação física e estudos sociais e que “notas” é um método muito limitado para se medir o aprendizado.

 

AltSchool prepara estudantes para o futuro através de planos para experiências de aprendizagem personalizadas dentro de comunidades chamadas de Micro-escolas. O diferencial, é que com esses planos, a escola é capaz de adaptar às necessidades de cada professor, estudante e pais a nível acadêmico, emocional e social.

 

“Fundamos uma escola com a ambição de criar um modelo que se encaixe com o perfil do século 21” diz Max “Se um viajante do tempo viesse do início do século 20 e comparasse as escolas daquela época com as de hoje, elas ainda se pareceriam bastante. E tem algo errado sobre isso pois, as crianças e os nosso mundo mudaram”.

 

Mas como a AltSchool desenvolve um currículo personalizado?

Quando uma criança entra na escola, é criado um perfil de aprendizado dela. Nesse perfil, é catalogado seus interesses, forças, fraquezas, hobbies, entre outros. A partir dai, em colaboração com os pais e educadores, é traçado o PAP (plano de aprendizagem personalizado) que inclui playlists de atividades semanais programadas para os estudantes, no qual ele mesmo pode ter acesso para visualização. Esse plano é revisado semestralmente e, a medida que os objetivos forem sendo atingidos, os educadores lançam novas metas para os estudantes.

 

Ensino

Além das matérias tradicionais (Matemática, ciências, artes e línguas) ensinadas com metodologias diferenciadas, a AltSchool também incentiva o aprendizado em outras áreas nas quais os estudantes têm a oportunidade de desenvolver habilidades de engenharia, design e codificação através de trabalhos interdisciplinares (adaptados de acordo com a idade), além de atividades físicas diárias tais quais dança, atividades ao ar livre, natação e yoga para incentivar desde cedo uma paixão e noção da importância de atividades físicas e movimento.

 

A escola oferece também oportunidade de estudar uma língua estrangeira determinada pelo próprio estudante e seus pais que podem incluir Espanhol, Mandarim e Francês.

 

Investimento

O plano da AltSchool é utilizar parte do investimento recebido pelo fundo para pesquisa e desenvolvimento do seu software e sistema (no qual planejam vender para outras escolas no futuro), enquanto outra parte será utilizada para continuar dobrando o número de escolas a cada ano.

 

Max Ventilla enxerga  investimentos como o do fundo de Zuckerberg como evidência do potêncial do grande impacto que o sua escola possa ter não somente para a sociedade, mas vê também o potêncial para tornar um negócio altamente lucrativo nos quais ele mesmo e os próprios investidores gostariam de ver no futuro.

 

Se essa ideia soa ambiciosa, é apenas metade do problema. Para realmente desenvolver o melhor software no qual as escolas poderiam facilmente adotar, Max e sua equipe decidiram que não poderiam simplesmente ditar suas estratégias de longe. Então a AltSchool abriu suas próprias escolas privadas e as tem abastecido com os melhores educadores e tecnólogos, começando com uma escola de uma sala de 20 alunos em 2013. Agora A AltSchool opera 4 unidades em São Francisco, e irá dobrar de tamanho ainda esse ano abrindo unidades em Brooklyn e Palo Alto. Sem falar na pressão que vem naturalmente junto com tamanho investimento vindo da elite do vale do silício.

 

 

Baixe nosso Ebook gratuito com dicas essenciais para transformar sua aula em vídeo-aula.

5 dicas para transformar aula em vídeo aula

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *